Este site utiliza código Javascript.
Estou em: » Adolescentes da Fasepa apresentam seus talentos artísticos em carnaval da socioeducação

Adolescentes da Fasepa apresentam seus talentos artísticos em carnaval da socioeducação

 

Um dos principais pontos turísticos da capital paraense, a Estação das Docas foi palco nesta sexta-feira (26) de uma apresentação carnavalesca diferente. Adolescentes e jovens que, em cumprimento de medidas de privação de liberdade na Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), lançaram o samba-enredo da socioeducação, único no país, pelo segundo ano consecutivo dentro do projeto Pôr-do-Som, por meio da parceria com a Organização Social Pará 2000, buscando o exercício do protagonismo dos socioeducandos e sua formação cidadã.

 

 


O sorriso e alegria deram o tom da festa que levou ao grande público uma mostra das ações artísticas e culturais desenvolvidas nas unidades socioeducativas do Estado. Nem mesmo a chuva que caiu no final da tarde em Belém foi capaz de fazer com que o público ‘arredasse o pé’ e deixasse de se divertir e interagir com toda a comunidade socioeducativa presente no evento. Com o tema “Família Fasepa Fortalecendo a Socioeducação. Não para, não”, o samba-enredo deste ano foi gravado nos estúdios da Rádio Cultura, graças a parceria entre a Fasepa e a Fundação Paraense de Radiodifusão (Funtelpa).

 

 


O fato de os jovens estarem privados de liberdade e cumprirem medidas socioeducativa na Fasepa, não significa que estejam à margem de vivenciar as datas comemorativas. Com a chegada do Carnaval, os profissionais que atuam nas unidades socioeducativas promovem diversas oficinas, desenvolvidas pelos arte educadores musicais e teatrais, em busca de novos talentos e também proporcionado a oportunidade da ressocialização.

 

 


Dentre os frutos das oficinas, está o jovem Daniel da Silva, de 18 anos, que cumpriu três anos de medida socioeducativa e hoje é egresso do sistema socioeducativo. Hoje ele é um dos alunos da Fundação Carlos Gomes. O jovem não escondia a alegria de participar da programação que abriu portas para que ele seguisse na área da música. “Tocar em um espaço como esse é uma honra. Eu me sinto muito feliz por estar participando pelo segundo ano do carnaval aqui na Estação das Docas. É bom saber que tem pessoas de vários locais nos assistindo e reconhecendo o nosso trabalho. A música significa alegria e faz a gente refletir sobre a vida”, avaliou o jovem.

 

 

 

Entre as centenas de pessoas que prestigiaram o Carnaval da Socioeducação, estava a autônoma Fernanda Oliveira que, contagiada pelo ritmo da bateria formada por adolescentes da Fasepa, disse estar bastante satisfeita com o resultado do trabalho realizados com os socioeducandos. “Foi a primeira vez que eu vi esse trabalho com jovens que cumprem medida socioeducativa e gostei muito. Eu estou muito contente em saber que eles estão sendo acompanhados e direcionados para seguir por um caminho melhor. Eu acredito que quando você dá oportunidades, você tem um resultado tão bacana como esse que nós estamos vendo aqui”, ressaltou Fernanda Oliveira.

 

 

 

Tanto o samba-enredo da socioeducação, como as fantasias e adereços contaram com a participação direta dos próprios jovens, sob a orientação dos arte-educadores por meio de oficinas, apresentando elementos representativos que fazem parte da cultura carnavalesca como mestre-sala e porta-bandeira, passista e porta estandarte, entre outros.

 

 


O arte-educador musical da Fasepa, Ricardo Jardim, foi um dos responsáveis por conduzir os adolescentes na bateria da socioeducação. Ele chama a atenção para importância de mostrar esse trabalho para a sociedade, porque é uma forma de desconstruir a ideia de que esses jovens, que cometeram algum tipo de ato infracional, são incapazes de refazer seus projetos de vida e serem reinseridos socialmente. “Esse momento simboliza o novo, o recomeço e mostra que quando a gente quer mudar, nós conseguimos. A arte e cultura se apresentam como uma das possibilidades de mudança para o jovem que está na medida socioeducativa, basta ele querer. É muito bom ver as pessoas conhecendo mais um pouco do trabalho que a Fasepa faz, compreendendo que é possível apresentar bons caminhos para os jovens a partir do momento em que você ama e acredita naquilo que faz”, disse Ricardo.

 

 


O presidente da Fasepa, Simão Bastos, celebrou o momento destacando a boa receptividade do público e participação ativa dos adolescentes. O que culminou com o evento sendo bem recebido por quem passava pela Estação das Docas. “A população teve a oportunidade de visualizar um trabalho socioeducativo e que demonstra que quando você dá oportunidade, é possível ter resultados positivos. A Fundação vem desde 2015 com ações desta natureza e a população entende como uma prática positiva, contando com a participação ativa dos adolescentes e que já é abraçado pela sociedade de forma geral”, declarou o presidente da Fasepa, Simão Bastos.

 

 

 

Ainda segundo ele, as práticas socioeducativas constituem um trabalho desafiador, mas que é possível reconstruir projetos de vida. “É um trabalho desafiante e que não tem limite. Nos proporciona dar cada vez mais oportunidade para aqueles que não tiveram tantas escolhas na vida. Saímos felizes com o resultado extremamente positivo de um trabalho que é único no país”, concluiu Simão.

 

 


Projeto – Esta iniciativa faz parte de um conjunto de ações pedagógicas que compõem o “Projeto Ressignificando Caminhos na Socioeducação”, desenvolvido pela Fasepa na perspectiva de promover e garantir que os socioeducandos tenham acesso à arte, a cultura, ao lazer e atividades esportivas, entre outros.

 

Texto: Alberto Passos

Fotos: Igor Brandão / Ag. Pará

 

 

 

imagem: 
Imagem ilustrativa da notícia.
Desenvolvimento: PRODEPA Usando CMS livre - Drupal Sítio Acessível